Topo
Rico Vasconcelos

Rico Vasconcelos

Categorias

Histórico

Conheça o Projeto PrEP1519 de prevenção de HIV e ISTs para adolescentes

Rico Vasconcelos

2005-04-20T19:04:00

05/04/2019 04h00

Programa vai oferecer gratuitamente aos jovens ferramentas de prevenção como preservativos, testagem de HIV e infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), PEP e PrEP | Crédito: iStock

No Brasil de 2019, quando se fala de epidemia de HIV e de Prevenção Combinada, é fácil perceber que, entre as faixas etárias mais jovens, vivemos um contrassenso. É nesses grupos que a epidemia brasileira cresce com maior velocidade, mas, não por coincidência, não são eles os priorizados no planejamento das ações prevenção.

Entretanto, com início recente de um projeto de pesquisa chamado PrEP1519, que pretende estudar a aplicação da Prevenção Combinada para jovens de 15 a 19 anos de idade, esse cenário pode começar a mudar no país.

No Brasil, segundo pesquisa publicada em 2013, 25% dos 12.000 entrevistados relataram que tinham iniciado sua via sexual antes dos 15 anos de idade, mostrando a urgência e importância da discussão da saúde sexual dos adolescentes.

Em muitos países a epidemia de HIV se encontra em franco crescimento na população mais jovem. Nos Estados Unidos, por exemplo, um a cada dois gays ou bissexuais negros menores de 24 anos vai se infectar com HIV ao longo da sua vida.

No Brasil, segundo o último Boletim Epidemiológico de HIV do Ministério da Saúde, a taxa de detecção de casos de Aids entre jovens de 15 a 24 anos de idade mais do que dobrou nos últimos 10 anos. Nenhum outro grupo populacional apresentou crescimento semelhante.

É verdade que, por uma questão ética, os projetos de pesquisa clínica, com novas drogas e estratégias de prevenção, não incluem participantes menores de idade até que a segurança e os benefícios do experimento sejam confirmados. Porém, passada com sucesso essa primeira etapa, os testes devem ser estendidos para adolescentes.

No caso da PrEP, os estudos realizados até o momento demonstraram que existe eficácia na prevenção do HIV tanto entre adultos quanto entre adolescentes, desde que haja boa adesão aos comprimidos. No entanto, entre adolescentes foram encontradas as menores taxas de adesão.

Baseados num trabalho realizado com adolescentes de 15 a 17 anos de idade, nos Estados Unidos desde 2018 a PrEP foi liberada e é recomendada para adolescentes com mais de 35kg sob risco de infecção por HIV.

Já, no Brasil, a PrEP está liberada no SUS e pela ANVISA apenas para maiores de 18 anos. Não existem, até agora, estudos de PrEP realizado com jovens no país.

Dada então a importância do tema, foi idealizado um grande projeto de pesquisa para avaliar o desempenho das estratégias da Prevenção Combinada entre os adolescentes brasileiros. Ele será realizado nas cidades de São Paulo, Belo Horizonte e Salvador e encontra-se agora nas suas etapas iniciais.

Nesse projeto, jovens trans, travestis, gays e bissexuais de 15 a 19 anos que vivem contextos de alta vulnerabilidade à infecção por HIV serão convidados para entrar num programa de acompanhamento que oferecerá diversas ferramentas disponíveis de prevenção, como aconselhamento para redução de riscos, distribuição de preservativos, testagem de HIV e infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), PEP e PrEP. Tudo isso gratuitamente e por uma equipe capacitada e acolhedora.

Os interessados de Salvador podem obter mais informações através do perfil @preparasalvador do instagram ou do whatsapp (71) 99102-2234. Em Belo Horizonte o contato é feito pelo (31) 9726-9307 e em São Paulo (11) 98209-2911.

A proposta é que somente aprendendo desde cedo a gerenciar suas vulnerabilidades às ISTs que os adolescentes podem viver sua vida sexual sem medo, com saúde e qualidade.

Sobre o autor

Médico Infectologista formado pela Faculdade de Medicina da USP, Rico Vasconcelos trabalha e estuda, desde 2007, sobre tratamento e prevenção do HIV e outras ISTs. É atualmente coordenador do SEAP HIV, o ambulatório especializado em HIV do Hospital das Clínicas da FMUSP, e vem participando de importantes estudos brasileiros de PrEP, como o iPrEX, Projeto PrEP Brasil, HPTN083 (PrEP injetável) e na implementação da PrEP no SUS. Está terminando seu doutorado na FMUSP e participa no processo de formação acadêmica de alunos de graduação e médicos residentes no Hospital das Clínicas. Também atua na difusão de informações dentro da temática de HIV e ISTs no Brasil, desenvolvendo atividades com ONGs, portais de comunicação, agências de notícias, seminários de educação comunitária e onde mais existir alguém que tenha vida sexual ativa e possua interesse em discutir, sem paranoias, como torná-la mais saudável.

Sobre o blog

Com uma abordagem moderna e isenta de moralismo sobre HIV e ISTs, dois assuntos que tradicionalmente são soterrados por tabus e preconceitos, Rico Vasconcelos pretende discutir aqui, de maneira leve e acessível, o que há de mais atual e embasado cientificamente circulando pelo mundo. Afinal, saber o que realmente importa sobre esse tema é o que torna uma pessoa capaz de gerenciar sua própria vulnerabilidade ao longo da vida sexual. Podendo assim encontrar as melhores maneiras para manter qualidade no sexo, e minimizar os prejuízos físicos e psicológicos associados ao HIV e ISTs.